Combate ao Aedes - Municípios podem contratar mais Agendes de Combate a Endemias

Em entrevista à repórter Janary Damacena, da Web Rádio Saúde, o Presidente do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde, Mauro Junqueira e o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Nardifalou falaram a respeito do tema: 

 

Janary Damacena: O número de agentes de combate a endemias vai ser ampliado por todo o Brasil. Isso porque o Ministério da Saúde alterou os critérios para a contratação desses profissionais, o que vai gerar aumento de 44% na quantidade de agentes que podem ser contratados com recursos do ministério. A estratégia tem o objetivo de fortalecer o enfrentamento ao Aedes aegypti no país. Com a mudança, o número de agentes que podem ser empregados pelas prefeituras passa de pouco mais 62 mil para quase 90 mil. Estes profissionais deverão vistoriar pelo menos 800 imóveis por mês, orientar a população sobre medidas de proteção contra o mosquito transmissor da dengue, do vírus Zika e da febre chikungunya, além de identificar e eliminar focos do mosquito. De acordo com o presidente do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde, Mauro Junqueira, o aumento dos agentes de combate a endemias é fundamental para garantir o combate ao vetor e a outras doenças.

 

 Presidente do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde, Mauro Junqueira.

“O agente de endemias trabalha na questão na prevenção da promoção da saúde através de campanhas, na questão da malária e outras endemias que acometem a população. Então o campo é muito vasto, lógico que o trabalho fundamental hoje é com relação ao Aedes, pela epidemia que nós vivemos, com os problemas que estamos enfrentando com a zika, chikungunha e a própria dengue. Mas o papel do agente é de fundamental importância na prevenção e na promoção à saúde da população brasileira”.

 

Janary Damacena: O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Nardi, explica que a alteração levou em conta uma demanda crescente de várias cidades.

 

Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Nardi.

“Nestes últimos 10 meses era a maior reivindicação que nós recebemos dos prefeitos, dos secretários municipais e estaduais de saúde e esta é a resposta efetiva que a União vem dar. Esta portaria vem ajudar os municípios que hoje estão sobrecarregados nos seus gastos em saúde, sendo financiados pela União, a contratação extra dando segurança e saúde à população”.

 

Janary Damacena: Segundo as alterações estabelecidas pelo Ministério da Saúde, para cada cinco mil habitantes, o município deverá ter, pelo menos, dois agentes. Entre cinco mil e 10 mil habitantes, serão três agentes e, de 10 a 20 mil habitantes, deverão ser garantidos quatro agentes de combate a endemias. Outra mudança é a necessidade de instituir um supervisor para cada grupo de 10 agentes. Cada profissional vai receber R$ 1.014, e o valor será transferido pelo Ministério da Saúde aos municípios, que efetuam o repasse ao funcionário. Para mais informações acessewww.saude.gov.br.

Fonte: Web Rádio Saúde 

Enviar comentário

voltar para NOTíCIAS

left show fwB tsN center|tsN fwB fsN center|show fwB fsN normalcase tsN center|bnull||image-wrap|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|news login fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||