De preto, professores lotam câmara de vereadores em seguida protestam pelas ruas de Cristópolis

A sessão da câmara de vereadores de Cristópolis esteve bastante movimentada neste dia 29/02. Estava na pauta a presença de profissionais da rede municipal da educação filiados ao APLB/Sindicato, visto que, os mesmos esperavam que o executivo municipal enviasse àquela casa legislativa o projeto de lei que alterasse o atual plano de cargos e salários da categoria. Na abertura dos trabalhos o presidente informou ao plenário e ao público presente que o projeto não havia chegado, o que deixou o clima tenso entre os profissionais.

Durante os pronunciamentos, os vereadores também compartilharam da indignação dos educadores, e alguns até disseram que era uma falta de respeito o que estava acontecendo com a educação do município e todos prometeram apoio na luta da classe. O vereador Jadir chamou a atenção dizendo: “O problema se agravou agora, mas as ruínas da administração é desde o mandato passado, por isso, tanto o ex-prefeito e o atual gestor respondem processo na justiça por mal uso do dinheiro público na educação e na saúde. Aproveito para reafirmar o meu apoio à categoria e acredito que dos colegas também.

Em entrevista ao Portal FV, a diretora da Regional Oeste da APLB/Sindicato, Zélia Barbosa disse que: “O plano que tem no município está defasado, o sugerido que estamos esperando é uma proposta que atende mais as demandas e direitos da categoria. Estamos aqui por que havia um entendimento que o executivo enviaria o plano hoje, com a surpresa do mesmo não ter sido enviado a categoria sai organizada daqui para manifestar nas vias públicas e mostrar para a sociedade e para o gestor de não aguentamos mais esperar. Se essa proposta não chegar até segunda-feira o ano letivo será comprometido, por que a categoria quer respeito e rapidez no processo”.

Antes dos trabalhos se encerrarem, moradores de Cerquinha fizeram uso da palavra e pediram aos vereadores apoio para que a comunidade tenha o sistema de abastecimento de água restabelecido, visto que, segundo eles, estão sem o fornecimento de água regular a 11 meses. O presidente da câmara, Oscarino Vieira, prometeu criar uma comissão e visitar a comunidade nesta terça-feira para ver de perto o problema e tomar as providencias necessárias junto à prefeitura.

Em seguida os profissionais da educação e os moradores da Cerquinha saíram pelas ruas da cidade acompanhando um carro de som gritando palavras de ordem, “prefeito os professores estão na rua e a culpa é sua”. Em frente à casa do prefeito pararam um pouco, mas a mesma encontrava-se fechada, e os manifestantes seguiram até a frente da prefeitura, onde cantaram o hino nacional em.

Enviar comentário

voltar para NOTíCIAS

left show fwB tsN center|tsN fwB fsN center|show fwB fsN normalcase tsN center|bnull||image-wrap|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|news login fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||