Cristópolis Bahia– Há 13 anos dona Santana espera ter energia elétrica em sua residência.

Na localidade de Timbó - próximo a Cerquinha município de Cristópolis – Mora a senhora Maria de Jesus da Silva, 56 anos, sua filha, um filho e um neto. Dona Santana – como é conhecida – Mudou-se para aquela humilde residência ha treze anos, ela, seu marido e os filhos. O terreno para a construção da casa foi doação de um amigo da família que mandou o seu saudoso esposo José Béto escolher dentro da fazenda onde queria tirar um lote de terra para construir a casa.

Dona Santana lembra que ela e o marido ficaram alegres, pois só assim teriam a tão sonhada casa própria. Seu marido escolheu o terreno próximo da BA 449 que liga Cristópolis a Cotegipe, lado de cima, visto que ali já passava uma rede de energia elétrica e assim ficaria mais fácil a COELBA instalar energia em sua nova moradia (ledo engano).

O tempo passou, o casal criou a família, alguns filhos casaram-se e construíram suas próprias famílias e foram morar em outros lugares. José Bétio adoeceu, ficou muitos dias encima de uma cama até que faleceu, e o sonho de ter energia elétrica não foi realizado

Dona Santana por muitas vezes procurou o credenciado COELBA em Cristópolis, fez seu cadastro no programa LUZ PARA TODOS, outras vezes recorreu à ajuda de políticos, mas até hoje, treze anos depois, continua sem energia elétrica em casa, mesmo a rede de alta tensão passando a uns 20 metros de sua cozinha e a de baixa a cerca de 50 metros. Em 2012 recebi uma mensagem de uma de suas filhas pedindo ajuda para que dona Santana e sua família tivesse energia em casa. Procuramos a COELBA em Barreiras e fomos informados que não havia cadastro da mesma no programa LUZ PARA TODOS.

Já com a documentação preparada por Olindina, amiga da família, fiz a solicitação, tempo depois recebi uma ligação da COELBA de Salvador informando que uma equipe estaria indo até o local e que o cadastro havia sido aprovado ( realmente estiveram lá). Com a demora, enviamos um relatório a todos os membros do programa Luz Para Todos e cobramos providencias. Já em 2015 recebemos outra ligação de uma empresa prestadora de serviços ´para a Coelba mandando instalar o padrão que a energia havia sido autorizada e a equipe já viria realizar a ligação, mas um ano depois dona Santana continua “lumiando” com candeeiro, usando a geladeira como armário, conservando carne com sal e pimenta, tomando agua gelada pelo pote, assistindo TV na casa do irmão ou do filho a 1 km e tendo que tomar banho logo pela manhã por causa do mau cheiro do óleo diesel que exala das lamparinas que ficam acesas a noite inteira.

Em conversa com essa senhora, sempre sorridente, ela ficou um pouco mais séria e disse: “Meu marido morreu e não teve o prazer de morar em uma casa com energia elétrica, pois onde morávamos antes também não tinha”. Será se eu também vou morrer sem ter o prazer de assistir a novela em minha casa e parar de abusar o Manoca para trazer óleo diesel de Cristópolis pra nós? Será se pobre tem mesmo que sofrer? Será mesmo se essa Luz é para Todos?

Esta matéria já foi publicada em 2013 e atualizada em 28/02/2016.

Enviar comentário

voltar para NOTíCIAS

left show fwB tsN center|tsN fwB fsN center|show fwB fsN normalcase tsN center|bnull||image-wrap|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|news login fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||